...

Precisei colocar a moderação nos comentários por causa de alguns spans que pintaram por aqui.
Você, que não é spam, faça o seu, fique a vontade.
Namastê.

Consagração do ambiente

As previsões feitas nesse blog são gerais, falam do astral do período, não são direcionadas para o indivíduo. Para fazer previsões pessoais, você precisa consultar um(a) astrólogo(a) ou numerólogo(a) e usar seu mapa astral ou numerológico de nascimento. Não estou atendendo consultas até me aposentar, estou em outro trabalho. Faço o blog porque gosto.

O som das Fadas da Noite

domingo, 20 de junho de 2010

o Mês de Câncer



Nesse período, quando o Sol está no signo de Câncer, ilumina as qualidades de proteção, sensibilidade, aguçadas percepções, necessidade de aconchego, atenção e carinho, necessidade de intimidade, de segurança, de maior contato com a família e aproximação das pessoas, privacidade, lembranças do passado, romantismo, imaginação, vontade de fugir dos problemas e pressões da vida, de permanecer mais tempo dentro da concha, de preferência uma concha muito quentinha, cheirosa, junto das pessoas queridas e fazendo gostosas refeições.

Após o mês de Gêmeos, quando nos soltamos mais, conversamos, rimos e passamos pelo cotidiano ouvindo e falando muito para coletar o máximo de informações, o mês de Câncer chega com uma vontade de descansar um pouquinho, ruminar essas informações sozinho ou com aquela pessoa especial, refazer as energias internas para enfrentar Leão, que vem depois, e iniciaremos a construção da consciência individual

A consciência, em Câncer, é mais voltada para o coletivo do que para o individual. 


Pode parecer contraditório dizer isso para um signo que pensa prioritariamente em assegurar sua própria sobrevivência e a das pessoas íntimas, mas para que consiga realizar isso, terá que seguir as regras sociais e coletivas (os marginais, os rebeldes, os dissidentes, são aqueles que pagam o preço alto da falta de apoio da sociedade na luta pela sua sobrevivência).

Depois de tanta energia e informações distribuídas, temos que ter algum local onde guardar tudo, e isso é uma tarefa do signo de Câncer: armazenar informações, percepções, acontecimentos, para assimilar tudo calmamente. 

Enquanto Gêmeos seguirá em busca de novidades, Câncer vai dar uma paradinha para digerir tudo, selecionar o que lhe é útil e o que considera prejudicial, e construir um local sagrado e íntimo, onde sempre que estiver desgastado irá se reabastecer.

Por isso, o pensamento semente para o mês de Câncer é “EU CONSTRUO UMA CASA ILUMINADA E LÁ HABITO”.

Em sua oitava inferior, esse pensamento é “Que o isolamento seja a regra, embora exista a multidão”.

Câncer pertence ao Eixo da Individualidade (a Quarta e a Décima Casa Astral): a oposição entre o Coletivo e o Individual.

O Coletivo é Câncer, e o Individual é Capricórnio.

Câncer tem uma enorme necessidade de segurança e proteção, e para se sentir assim, precisa ser aceito pelo coletivo, por isso não gosta de inovar, prefere aprender e seguir as regras da sociedade, da família e da tradição, enquanto Capricórnio sai da sua casa em busca de condições melhores para a sobrevivência.

Câncer também se preocupa muito com a sobrevivência, mas sua ambição é ter o necessário para si e sua família, enquanto Capricórnio vai além (embora também não se desprenda da família) e ambiciona ter o necessário para si, para sua família e ainda para as futuras gerações de sua família, de preferência um império que sobreviverá a várias gerações.

Quando em desequilíbrio, tanto Câncer quanto Capricórnio acumulam demais, buscam mais do que precisam, porque nunca se sentem seguros o suficiente para parar de acumular (lembre-se que falei quando estão em desequilíbrio).

Os materiais para a construção da Casa Iluminada foram fornecidos pelos signos anteriores:
Vontade, Amor e Inteligência
e a união dessas 3 energias em Sabedoria e Boa Vontade.

Nossa casa pessoal é construída com nossas ações, emoções, pensamentos, visões, palavras e lutas.


Nossa casa deve ser iluminada, e não uma masmorra escura.

No mês de Câncer, com a sensibilidade aumentada, ficamos mais vulneráveis e também receptivos às energias de todos os 12 signos.

O símbolo de Câncer são duas concavidades que formam um círculo aberto, e através do qual tudo pode fluir. 
A concavidade superior se move para a esquerda (retrocesso, vai ao ponto de partida, à fonte da vida, ao começo da existência). 
A concavidade superior se move para a direita (ir ao mundo, realizar-se e conquistar uma posição segura). 
O avançar e o retrair se movem num ritmo constante como as fases de impulso e repouso.

Todos os signos Cardinais (que iniciam as ações) são uma espécie de “porta”.

Áries é a porta para a primeira manifestação do ser, a vontade.
Câncer é a porta da natureza material.
Libra é a porta da natureza social.
E Capricórnio é a porta da natureza espiritual.

Câncer, a porta da natureza material, corresponde a mãe das formas, ao instinto, à dependência do coletivo, o rebanho. 

E Capricórnio, a porta do espírito, corresponde ao pai, à sobrevivência independente, àquele que se sobressai do rebanho, a porta para a iniciação (esotérico, espiritual) ou a individuação (psicológico).

Tanto no mês de Câncer como no de Capricórnio há uma dose de tensão entre espírito e matéria, o coletivo e o individual (correspondem ao pai e à mãe), que deve ser equilibrada. 

E o melhor momento para trabalhar isso é durante o período em que o Sol ilumina essas energias.

No signo de Câncer pertencemos ao coletivo, a um grupo ou à nossa família. 

Através da vibração idêntica, recebemos e doamos forças e sentimos a segurança de pertencer à mesma unidade. 

É uma força coletiva (diferente da consciência coletiva, que pertence a Aquário, pois Aquário já está individualizado).

Câncer é o “caminho à nossa Fonte”, onde o movimento é descendente, pois busca as raízes do nosso ser, onde estão as origens, as causas, as respostas para muitos por quês. 

Somente chegaremos aí nos libertando da influência coletiva.

Durante o mês de Câncer encontramos nossas raízes, nossa Fonte, nossa origem, nossa luz individual.

Só encontraremos essas energias no local mais profundo do Zodíaco: Câncer, as raízes da árvore.

Aqui a luz se manifesta na escuridão.

Nesse signo, a vontade individual se torna consciente de si mesma, mas só vai se manifestar exteriormente em Leão.


Em Câncer só se manifesta para si mesmo, é uma autodescoberta.

O signo de Câncer é o local de nascimento do indivíduo (anterior à Áries. Áries é o primeiro a se manifestar, é o próprio ato de nascer).

A casa que precisamos construir ou aprimorar nesse período simboliza uma estrutura firme de proteção contra as tempestades que enfrentaremos mais tarde, principalmente nos signos coletivos, de Escorpião a Peixes.

Antes de começar, precisamos superar o passado, uma tendência dos cancerianos, sair do poço de recordações, livrar-se de mágoas, perdoar para conseguir seguir em frente, não olhar muito para trás.

Dessa maneira estaremos experimentando segurança e proteção a partir de nós mesmos, que é a verdadeira segurança: deixar de depender do ambiente ou do comportamento das outras pessoas para nos sentir seguros, enfim, enraizar em nosso próprio ser, e não no solo alheio.

Em Câncer, vamos em busca da Mãe, e descobrimos que podemos ser nossa própria mãe, cuidar de nós mesmos.

O signo de Câncer pergunta: “o que realmente sou, e o que me tornei através do meio ambiente, da educação e da origem?”

Em nossas próprias profundezas encontramos as fontes inesgotáveis de forças espirituais, que nos guiam e nos orientam na vida, e que também podemos usar para servir e ajudar a nossos semelhantes.

Usando a carapaça do caranguejo, diz o mestre tibetano: “devemos aparentar indiferença, que paralisa a maior das forças, pois na verdade ficamos esgotados não tanto pelos inimigos, mas pela indiferença dos amigos”

Quer dizer: se os amigos não estão disponíveis por algum motivo qualquer (afinal, eles não foram feitos apenas para nos servir), como ficaremos? 


Contra os inimigos sabemos muito bem como nos defender. 


Mas e quando os amigos não estão? 

Não é muito melhor sermos nós mesmos nosso próprio melhor amigo, nossa própria mãe? (simbolicamente falando).

Na viagem pelo Zodíaco, vamos construindo a nossa casa. 

O signo de Câncer nos capacita a responder a todas as energias dos 12 signos (interna e externamente).


Está relacionado com a personalidade e com a alma (instinto de conservação, construção de formas pensamento).


No mês de Câncer a energia emocional está muito ativada, é um período parecido com o estágio da concepção, que aguarda, enquanto vai se formando

Nossa Fonte está oculta dentro de nós mesmos.

Em Áries é formada uma idéia, com a qual se inicia o processo de manifestação.

Em Touro a idéia alcança o corpo emocional (o desejo), ganha substância com a força desse desejo e fica envolvida em uma forma astral.

Em Gêmeos a idéia chega à dimensão da vida humana, com suas múltiplas formas e conhecimentos.

Em Câncer a idéia recebe uma forma física. É uma porta para a sua manifestação. Por isso, o signo de Câncer se preocupa com a forma, o recipiente para essa idéia, o corpo físico, os corpos emocional e mental e a integração da personalidade nesses corpos.

Sendo a porta para a nossa Fonte, podemos dizer que o signo de Câncer é a porta para o Inconsciente Coletivo (o lado oculto, para nós escuro, onde estão todas as informações), de onde viemos e para onde voltaremos, através do qual estamos ligados a tudo o que vive.

Uma casa iluminada é um corpo saudável (físico), sentimentos amorosos (emocional) e pensamentos bem dirigidos (mental).

O poder secreto do desenvolvimento está contido no grão, na origem, no potencial.

Câncer é um signo contraditório, pois quer continuar sendo criança e junto da mãe, mas quer também ser livre e independente, e se transformar em uma mãe para alguém

Enquanto não se decide, fica inseguro, vulnerável, obedece a todos mas não a si mesmo e se sentirá muito incompreendido, porque ele mesmo não está se compreendendo. 

Por isso deve integrar a sua personalidade e a sua vontade.

No mês de Câncer temos a oportunidade de limpar a parte desagradável do nosso passado, com a finalidade de nos direcionar para novas oportunidades, com confiança e alegria, porque a verdadeira essência do ser é livre. 

Quando alcançamos esse estágio, deixamos de ser filho para ser mãe, e passamos a dar segurança e proteção àqueles que como nós estávamos antes, estão ainda procurando sua Fonte.

Podemos ver, no Quarto Trabalho de Hércules (A Captura da Corça), como lidar com essa insegurança e emergir da consciência coletiva para a nossa própria consciência.

Por isso também o pensamento semente em sua oitava inferior á “que o isolamento seja a regra, embora exista a multidão”
Nesse caso, não estamos construindo nossa casa iluminada, não estamos indo à nossa Fonte, estaremos sendo egoístas, pensando unicamente em nós mesmos, cultivando a tendência a acumular tudo no fundo de um baú que vamos abrir só de vez em quando. 
Nesse baú ficam nossas mágoas, lembranças tristes, carências, inseguranças, medos, e ele funciona como a carapaça do caranguejo: nos isola do outros, embora possamos ter pessoas muito legais por perto. 
Dessa forma não crescemos, não nos auto descobrimos e também nunca ficamos independentes, estaremos sempre reagindo ao meio ambiente automaticamente, conforme se modificam as fases da Lua.

Quando fazemos o movimento de descida para o local mais fundo, para a meia-noite do Zodíaco encontramos em nossa Fonte as causas, os motivos para o nosso bem-estar, nossa felicidade, mas também de nossas dificuldades e preocupações.

Dessa maneira, com o autoconhecimento, teremos a oportunidade de fazer as correções necessárias para que nosso caráter, nossas formas física e psíquica se alinhem manifestem a nossa própria essência, ao invés de apenas reproduzir o coletivo. 

É o momento de descobrir nossos potenciais também.

Confrontarmo-nos conosco mesmos exige coragem, porque em nossa origem encontramos tesouros e problemas

Não dá para manifestar nossa essência puramente e de maneira inocente como fazem as crianças, porque o mundo não é um paraíso e dessa maneira não sobreviveremos. 

Por isso a importância de construir-se uma casa, um local sagrado, seguro e iluminado, enraizado profundamente em nós mesmos. 

Assim poderemos viver manifestando nossa essência com firmeza e atender às exigências da vida, mas de maneira independente, da nossa maneira (isso será feito em Leão). 

Todo o ser humano necessita dessa proteção.

Sugestões para desenvolver mais o signo de Câncer em nossa mandala astrológica:

1) O amor ao passado é uma maneira de evitar o presente, porque o passado nunca passa, está sempre se repetindo enquanto ficamos pensando nele. 
Faça uma faxina no passado para não ficar preso nele. 
Coloque uma música que lhe traga muitas recordações. 
Fique atento a quais lembranças lhe vêem a mente, quais os sentimentos que a acompanham e faça uma ligação específica entre essa lembrança específica e sua vida atual. 
Procure a razão, a causa, os motivos para seus sentimentos e perceba se você está repetindo os mesmos sentimentos atualmente. 
Sempre que se sentir nostálgico, melancólico ou saudosista em excesso, pergunte a si mesmo: o que eu estou tentando evitar de vivenciar nesse momento?

2) Quando me sinto verdadeiramente em família? 
A família é muito importante, é a nossa base segura. Procure estreitar os laços com sua família, passar mais momentos com eles, ou com quem quer que você sinta como família. 
Procure parentes que lhe são queridos e que não vê há bastante tempo, e faça contato com eles.

3) Libere a raiva. 
Vá para um local solitário e dê socos no travesseiro ou em alguma almofada, faça caretas no espelho, grite, rosne, fale alto todos os palavrões que tiver vontade. 
Se sentir vontade de chorar depois disso, melhor ainda, chore a vontade, até literalmente “lavar” a alma. 
Perceba se você, depois disso, está se sentindo mais livre para expressar sua criança interior.

4) Trabalhe tanto a energia feminina como a masculina
Em casa, faça novas receitas e ponha uma mesa linda e caprichada para uma refeição sozinho ou acompanhado. 
Faça também pequenos consertos usando martelo e pregos, ou ferramentas, ou em torneiras, portas, armários, enfim, deve ter alguma coisa para consertar em casa. 
Se não souber cozinhar nem consertar nada, aprenda.

5) Verifique se você realmente sabe cuidar de si mesmo: faça questão de lavar suas próprias roupas e limpar sua própria sujeira.

6) Escreva sua autobiografia
Viaje no tempo e observe a si mesmo quando criança, adolescente.. e tente compreender seus sonhos e medos, descubra o quanto você aprendeu até hoje, e agradeça por ter sido como foi.


Meditação para o signo de Câncer:

Sente-se tranquilamente com a coluna ereta até que sua respiração esteja no seu próprio ritmo. 

Sinta que está sentado e apoiado na cadeira, que está apoiada pelo chão, que está apoiado pelo planeta inteiro.

Imagine as águas calmas de um lago, onde se reflete a imagem do Sol ou da Lua. 

Deixe seus pensamentos passarem e apenas os observe, não xingue nem julgue nenhum deles, apenas observe-os passando enquanto você permanece.

Lembre-se de você mesmo quando era uma criancinha em alguma situação desagradável, e, na sua imaginação, pegue-se no colo, abrace, fale palavras carinhosas e ofereça proteção, diga a essa criança que a ama e que nunca vai abandoná-la, que é uma criança linda e inteligente, que ela pode confiar em você e chamá-lo quando estiver com medo. 


Caso a sua criança interior esteja tão magoada ou raivosa que não queira nem conversar com você, você terá que conquistá-la aos poucos, e ela necessita de atenção e amor incondicional. 


Talvez você tenha que ter paciência enquanto ela reclama de você e então você deve primeiro deixar que ela expresse sua raiva ou mágoa, e depois ir se aproximando até que ela consiga confiar em você.

Antes de passar para o próximo passo, prometa a sua criança interior que voltará a conversar com ela e pergunte se ela quer também algum presente, por exemplo, se ela quer passear no parque ou se acha que você está trabalhando demais e quer que você descanse e relaxe um pouco, ou se você está sendo muito crítico consigo mesmo e xingando essa criança a todo o momento, diga-lhe que ela terá limites também, não poderá se manifestar a qualquer momento, e faça um acordo com relação aos momentos em que ela irá se expressar mais


Se fizer alguma promessa, você terá que cumprir.

Agora diga a sua criança interior que vai voltar mais tarde e continue sua jornada, 

você ainda vai mais longe, 
concentrando sua energia no estômago, 
vá descendo tranquilamente, mergulhando, como se estivesse mergulhando num poço 
até alcançar a Fonte do seu próprio ser, 
como se estivesse retornando ao útero. 

Repouse ali, 

sinta-se apoiado, seguro e protegido, 
sentindo a pulsação da vida, sentindo-se unido com a origem de todas as formas de vida. 

Deixe a paz tomar conta de você, e não tente explicar nada, apenas sinta. 


Depois vá se erguendo lentamente, crescendo, mas sempre preservando sua ligação com essa Fonte e enquanto vai saindo aos poucos desse estado, imagine uma luz dentro de você, que vai subindo e se concentrando no ponto entre as sobrancelhas (o sexto chacra) e pense: “ EU CONSTRUO UMA CASA ILUMINADA E LÁ HABITO “.

Namastê.

Nenhum comentário: