...

Precisei colocar a moderação nos comentários por causa de alguns spans que pintaram por aqui.
Você, que não é spam, faça o seu, fique a vontade.
Namastê.

Consagração do ambiente

As previsões feitas nesse blog são gerais, falam do astral do período, não são direcionadas para o indivíduo. Para fazer previsões pessoais, você precisa consultar um(a) astrólogo(a) ou numerólogo(a) e usar seu mapa astral ou numerológico de nascimento. Não estou atendendo consultas até me aposentar, estou em outro trabalho. Faço o blog porque gosto.

O som das Fadas da Noite

sábado, 31 de outubro de 2009

Dia das Bruxas


Todas as mulheres têm dentro de si uma linda, bondosa, poderosa e protetora Bruxa, que lhe conecta com os ritmos e ciclos na natureza.
Mesmo naquelas mulheres que sufocam parte do seu poder feminino, essa sábia Bruxa não morre, mas permanece adormecida, em uma atitude de respeito ao livre arbítrio daquela pessoa, embora a qualquer momento possa ser chamada a despertar.








As Bruxas foram perseguidas, desrespeitadas e torturadas por pessoas, homens e mulheres, que, por não conseguirem lidar com seu próprio poder, tinham muito medo do poder de uma mulher.




Hoje não as queimam mais em fogueiras, mas alguns resquícios ainda permanecem sob a forma de tabus, salários mais baixos e posições subalternas concedidas à maioria das mulheres, discriminações contra o comportamento independente daquelas que são obrigadas a lutar sozinhas por um lugar ao Sol num mundo comandado por homens (isso quando não lutam sozinhas por um lugar ao Sol também por algum filho ou filha gerado em conjunto com esses próprios homens), e ainda de maneira disfarçada na tentativa de impor às mulheres um padrão eternamente jovem, desnutrido de tão magras, e sempre disponível para o sexo, como se fôssemos apenas um utensílio eficiente, sem vida nem personalidade nem alma próprias, tentando nos transformar em gigantes seios que jorram infinitamente para satisfazer os apetites e carências daqueles homens que se recusaram a crescer, amadurecer, e assumir a sua própria responsabilidade masculina para resolver as frustrações da sua vida.

Feliz Dia das Bruxas às mulheres que festejam hoje essa data, àquelas que a festejam em 30 de abril, àquelas que não a festejam mas fluem em harmonia com a natureza, àquelas que reprimiram seu self feminino (há esperança para elas também), aos homens que são suficientemente evoluídos para compartilhar conosco seu poder masculino, e a todas as pessoas sem preconceitos, de mente aberta e coração tranquilo que respeitam todas as decisões pessoais de crenças, religiões e filosofias de vida.


Namastê.

quinta-feira, 29 de outubro de 2009

As Fases da Lua e as energias na Terra

AS FASES DA LUA

As fases da Lua são a maneira que a Lua é vista por quem está na Terra.
Em outros planetas, ela é vista de outra forma.

A Lua mostra sempre a mesma face (o mesmo lado) para a Terra.
Nós, aqui do planeta, nunca vemos o outro lado da Lua.

Isso acontece porque a ela não se move de maneira a mostrar o outro lado.
Os raios de luz vindos do Sol iluminam a Lua sempre do mesmo lado, e assim uma face da Lua fica sempre iluminada, e a outra, no escuro (daí a expressão usada “o outro lado da Lua”, significa aquilo que está oculto).

As chamadas “fases” da Lua são a quantidade de luz que ela está recebendo do Sol.
Seus raios chegam de frente e iluminam a Lua inteira quando está na fase Cheia.
Quando está na fase Nova, não aparece para nós porque os raios do Sol não chegam nela.
Na fase Crescente os raios do Sol estão começando a chegar, é aquela que antecede a fase Cheia, quando a Lua estará totalmente iluminada.
E na fase Minguante a luz do Sol está diminuindo até desaparecer na fase Nova.

Esse “jogo de luzes” entre o Sol e a Lua acontece conforme a posição que se colocam os corpos celestes, em seus movimentos no espaço - movimentos que atualmente a humanidade conhece, e estuda desde os primeiros anos do colégio.

Na Astrologia, as 4 fases da Lua fazem um paralelo com as 4 estações do Sol.

Fase Nova: Inverno (Capricórnio, Aquário e Peixes)
Fase Crescente: Primavera (Áries, Touro e Gêmeos)
Fase Cheia: Verão (Câncer, Leão e Virgem)
Fase Minguante: Outono (Libra, Escorpião e Sagitário)

LUA NOVA:

É um momento muito jovem da Lua, e a energia que recebemos é instintiva, inconsciente, subjetiva, com tendência a não distinguir claramente o que é sonho e percepção, e o que é material e real.
A Lua da mulher criança.
A atividade é totalmente interna.
O momento é individual, pessoal, e até mesmo secreto, pois não há claridade (não dá prá ver).
Os dias da Lua Nova são muito favoráveis ao planejamento, às novas ideias, às atividades mentais e intelectuais, à organização de como o assunto vai começar.
A realização de tarefas do cotidiano, de rotina, todas as atividades mentais e intelectuais, e à tomada de decisões.
É o início do relacionamento entre o Sol e a Lua.
Tudo o que começar aqui vai aparecer o resultado na Lua Cheia.
O crescimento é lento e abaixo da terra (interior).
Se você quiser que algo não se torne público, inicie 8 horas antes ou 8 horas depois da Lua Nova. É melhor para cuidar da vida pessoal do que da vida pública.
É o melhor momento para iniciar alguma coisa, ainda nos seus estágios iniciais, antes de apresentar ao público.
Melhor ainda para coisas que se tenta pela primeira vez.
Coisas que já fazemos, mas queremos fazer de forma diferente.
Mudanças de vários tipos (estilo de vida, dieta para engordar, exercícios, mudar visual/cabelos, mudar hábitos, condicionamentos, pensamentos).
Tudo o que estimular a independência, autonomia, ousadia, arriscar.
Ótima para o plano mental: organização, planejamento do futuro, planejamento da atividade que quer iniciar.
Tempo de pensar.
Olhamos para o futuro, mas no início da fase também um pouco para o passado.
Fase intuitiva.

LUA CRESCENTE:
É a primeira crise entre o Sol e a Lua, pois estão em um ângulo de 90 graus (chamado de Quadratura, em Astrologia).
Como se fosse a adolescência.
A Lua da mulher jovem.
Nesse caso, a Lua está desafiando o Sol.
É um momento muito favorável a todos os inícios, novo emprego, novos negócios, esclarecimento de mal-entendidos - para colocar tudo isso na vida prática, após a fase de planejamento e organização da Lua Nova.
Favorece as situações que exijam desapego, pois a luz logo vai crescer, e levar a energia para o futuro, tipo deixar para trás coisas que se tornaram obsoletas e direcionar para o futuro.
Tudo aqui tende a crescer, mas enfrentando obstáculos.
Por isso o crescimento tem um ritmo diferente da fase Cheia, é um crescimento que obedece ao ritmo natural.
É boa para continuar aquilo que foi começado na Fase Nova, porque nessa fase encontramos os primeiros obstáculos, então é bom que a atividade já esteja organizada, porque é a fase de lutas - precisaremos nos esforçar e trabalhar mais, mas há energia disponível para crescer.
A energia mais forte dá a impressão de que o tempo passa mais rápido.
Favorece tudo aquilo que você quer que cresça ou aumente: cabelo, poupança, negócios, relacionamentos, se você quer ou precisa de público ou clientes, divulgação, se você quer engordar, etc
Considerada uma fase fértil em todos os sentidos.
Há tendência de correr mais, e isso é bom porque produzimos mais, mas pode ser ruim porque também nos distraímos mais - o foco não está no pensamento, mas na ação.
Tempo de conquistar.
Por causa da quadratura, nem tudo vai continuar, algumas coisas não passarão o primeiro obstáculo.
As emoções ficam mais fortes, para alguns há irritação e para outros há bom humor, mas de menos intensidade do que na fase Cheia.
Aqui surgem também mais críticas, e aquilo que começamos é testado para ver se terá força.
Por isso, essa fase também é boa para mudar, no sentido de fortalecer as falhas detectadas.
Há mais luz disponível, conseguimos perceber melhor as falhas e as forças.
Então é ótima para mudar, se adaptar, e também dar mais força às qualidades positivas do nosso projeto, pois o que se forma aqui se manifestará na fase Cheia.
Tempo de agir.
Nesse momento, olhamos para o futuro.
Fase expansiva.

LUA CHEIA:
É a fase de maior poder da Lua.
Simboliza a mulher fértil e a mulher sedutora.
A Lua da mulher madura.
Como a Lua é emocional e o Sol mental, é a fase mais difícil de controle.
Nesse período, aparece claramente o que foi iniciado durante a Lua Nova, tanto no lado positivo como no negativo.
Se os problemas foram resolvidos durante a fase Crescente, é a colheita.
Esse período favorece tudo o que é público e social, e desfavorece o individual.
As coisas ficam conhecidas e claras, se tornam públicas, famosas, e crescem rapidamente. Aparecem bem quais os obstáculos e problemas que resolvemos, ou que ficaram pendentes.
Por isso, esse ainda é um momento favorável à conscientização dos obstáculos, que ainda podem ser superados.
Também favorece as mudanças, tipo mudanças de casa, mudança de hábitos, abandono de vícios, porque a partir daqui a Lua vai minguar.
Tudo aquilo que queremos que cresça e aumente rapidamente.
A energia está “transbordando”: estão com toda a força a Lua (emoções) e o Sol (mental).
Por isso tudo fica muito claro, seja bom, seja ruim.
A oposição entre a Lua e o Sol exige que se mantenha o equilíbrio, pois a sensibilidade e o raciocínio entram em acordo ou se divorciam.
Popularmente conhecida como a fase dos “desequilíbrios”, esses desequilíbrios só acontecem quando um ou outro lado não estão bem (emoções/raciocínio, planejamento/prática).
O caminho mais fácil é brigar, é o que acontece muitas vezes, até nas notícias dos jornais.
O melhor caminho é a conscientização - ainda dá tempo de conquistar, há muita energia disponível e se a constatação das falhas for usada a seu favor, é só consertar correndo, ainda dá tempo.
Essa fase bota tudo para fora, torna público, aparece.
Não favorece cirurgias, pois a tendência é sangrar mais.
Estimula os partos - principalmente nos campos e nos tempos antigos, quando a vida era mais natural e menos sintética, as fêmeas humanas e animais pariam e menstruavam mais nessa época.
As plantas dão mais frutos e flores.
Estimula os líquidos e a circulação.
Bom para nutrir a pele e os cabelos.
O Cosmos dá suas respostas de maneira clara - sim ou não.
Boa para colher os frutos literalmente: das plantações e dos negócios.
Favorece o comércio, os lucros, os clientes, o público, a fama.
A energia está disponível em toda a parte, o tempo parece que voa.
Alguns ficam muito impacientes, ansiosos e outros ficam muito alegres, sensuais.
Como tudo é bem mais rápido, dá tempo de consertar erros, falhas, etc
Também porque tudo está claro, é bom para aprofundar vínculos.
Faça tudo o que você quer que fique enorme e tenha resultado grande, mas só se nas outras fases o caminho estiver indo positivo.
Aqui geralmente acontecem os imprevistos positivos ou negativos, mas eles já deram sinais na fase Crescente.
Não é bom para fazer nada que nunca se tentou antes, porque o resultado fica imprevisível.
É ótimo para ir com toda a força no caminho que está se mostrando favorável.
Favorece os relacionamentos, festas, encontros, romances, diversões.
Mas é lua de colheita.
Tudo se revela na Lua Cheia.
Se você quiser que algo se torne público e fique “famoso”, inicie 8 horas antes ou 8 horas depois da Lua Cheia.
Tempo de aproveitar - ou sair correndo para consertar.
Nesse momento, olhamos para o presente.
Fase impulsiva.

LUA MINGUANTE:
Favorece todo o tipo de planejamento, pois o mental está mais forte que o emocional.
A Lua da mulher velha.
Simboliza a anciã, que não procria mais, mas tem sabedoria para transmitir à mulher criança, jovem e madura.
Término de coisas inacabadas, faxina, solução de problemas do passado ou que estavam pendentes.
Bom para o relacionamento e o diálogo com jovens, adolescentes e crianças, porque estarão mais calmos.
Favorece os tratamentos de saúde, pois a tendência é mandar coisas embora (nesse caso, a doença).
É o melhor momento para cirurgias, porque a tendência é sangrar menos - mas tenha o cuidado de observar que o signo da Lua do dia não esteja no signo do órgão a ser cortado.
É o final do ciclo Sol e Lua, por isso também é bom para dar aquele retoque em algo que havíamos esquecido ou não conseguimos devido à intensa atividade da fase Crescente e Cheia, quando o ritmo era mais apressado.
E, caso o resultado do ciclo, para nós, tenha sido negativo como por exemplo a explosão de uma crise na fase anterior, é o momento de largar o passado e começar a planejar o futuro, pois favorece uma solução criativa vinda da mente.
As emoções estão mais fracas e o raciocínio está mais forte, então não é uma fase de brilho, muitas coisas parecem perder a importância, principalmente as questões emocionais.
A impaciência e a pressa diminuem, e as pessoas sensíveis se sentem menos atingidas por detalhes que antes pareciam enormes.
É bom para usar o raciocínio, não para tomar decisões futuras, mas para aprender, tirar suas próprias conclusões, assimilar internamente, re significar emoções, explicar para você mesmo e compreender melhor suas emoções e sensibilidade, principalmente as ruins.
Não favorece atividades que precisem de público.
Não favorece as vendas (a menos que já estejam encaminhadas), palestras, entrevistas, pedidos de aumento, fazer poupança.
Favorece tudo o que você quer que fique em segredo, ou que seja só seu e não seja compartilhado - mas essas coisas não terão crescimento.
Bom para fazer tudo o que você quer que diminua: dietas para emagrecer, coisas que você não quer mais, separar, pedir demissão, limpar (diminui a sujeira), desistir de planos que não deram certo.
Fazer empréstimos, quitar ou cobrar dívidas.
Bom para cortar vícios e hábitos, desintoxicar física e emocionalmente, tratar os dentes, depilação e limpeza de pele, cuidar das unhas.
As energias negativas e frustrações podem ser usadas como adubo, se forem bem aproveitadas como lições, da mesma maneira que faz a natureza com as folhas secas e plantas mortas - nada se perde.
Bom para fazer revisões: na vida emocional, nas finanças (orçamento, balanço, planejamento, etc), revisão de textos e estudos (encontraremos defeitos que nossa empolgação tapava, se eles não apareceram na fase Cheia - só que esses ficam conosco mesmos, e não se tornam públicos).
Tempo de refletir aprender.
Nesse momento, olhamos cada vez mais para o passado, mas no final da fase já pensamos no futuro.
Fase reflexiva.


Na fase da Lua Nova até a Lua Cheia, manda a Lua. (vai do início - horário de entrada - da Fase Nova e vai até o início - horário de entrada - da Fase Cheia)
A Lua, nesse período, está cheia de luz, força, poder.
A Lua é emocional.
Esse período é essencialmente emocional, porque ela é quem tem mais força.

Na fase de Lua Cheia, até a Lua Nova, manda o Sol. (vai do início - no horário de entrada - da Fase Cheia até o início - horário de entrada - da Lua Nova)
A Lua, nesse período, está diminuindo a luz, recebendo menos energia, e principalmente a partir da fase Minguante, recebe bem menos luz.
O Sol é mental.
Esse período é mais mental, as emoções vão diminuindo de intensidade.

O maior conflito acontece durante a Lua Cheia, quando a Lua está cheia de Luz, mas a energia que recebe já começa a diminuir.
Então a emoção ainda luta para prevalecer, mas a mente já começa a dominar.
Para pessoas mais sensíveis é um momento delicado, que vai passar e aliviar na fase Minguante.
Já é conhecido há décadas o efeito da Lua Cheia sobre as pessoas, através das estatísticas de mais partos, ocorrências policiais, em Pronto Socorros, acidentes de trânsito, etc, pois as pessoas em sua maioria ficam mais instáveis, impacientes, irritadas e impulsivas.

Muitas pessoas também usam a fase da Lua Crescente, e principalmente a fase da Lua Cheia, para atividades espirituais tipo a meditação, porque a energia está totalmente disponível.
As bruxas de plantão fazem a maioria de suas magias nessa faz, deixando a limpeza para a Minguante.
É o melhor momento para botar em prática tudo aquilo que você aprendeu para manter a calma.

Algumas pessoas seguem as fases da Lua para cortar o cabelo:

NOVA: para crescer novos fios.
CRESCENTE: para os fios crescerem mais rapidamente.
CHEIA: para dar volume.
MINGUANTE: para os fios não crescerem rápido, mas ficarem mais fortes.
É cientificamente provado há séculos a influência das fases da Lua no crescimento das plantas e nas marés.
NOVA: plantas que crescem abaixo da terra, ou que não dão frutos.
CRESCENTE: plantas que crescem acima da terra, que dão flores e frutos.
CHEIA: plantas que dão flores e frutos.
MINGUANTE: plantas que crescem abaixo da terra, e para limpar o jardim de plantas indesejáveis e ervas daninhas.
- você pode acrescentar aí os signos (isso dá outro post)
- geralmente os calendários da Lua para melhor corte de cabelo seguem a fase contrária do seu mapa natal, respeitando o grau exato, com aproximação de até 2 graus.

A influência da fase da Lua sobre as marés também já é algo bem conhecido por aqueles que lidam com o mar, a pesca, etc.
Porque na fase Cheia, a energia é puxada “para fora” então os líquidos aumentam, como se subissem junto com a força da energia.
E na fase Minguante, os líquidos são puxados “para dentro”, diminuem, aquietam.
Na Lua Cheia a força de uma planta (e dos cabelos) está nas pontas, pois é para ali que os líquidos vão.
E na Lua Minguante ou Nova a força da planta (e dos cabelos) vai para a sua raiz.

Todas as fases da Lua são ótimas.
São parte de um ciclo de relacionamento do Sol com a Lua, que se refletem na Terra.
Nós, os pobres terráqueos mortais podemos aproveitá-las todas, fluindo em harmonia com as energias que nos são enviadas.


Namastê.

domingo, 25 de outubro de 2009

História da Astrologia


A Astrologia é muito antiga, sua 
origem se perde no tempo.
O material mais antigo que se tem notícia é de cerca de 4000 anos A.C. na Suméria, Babilônia.

Os sacerdotes caldeus também já tinham avançados cálculos astronômicos e astrológicos. Eles tinham cálculos para prever o tempo, calendário agrícola, calendário de cerimônias religiosas vinculadas com os deuses do céu, previsões da sorte dos Soberanos de Estado e de todos os fatos importantes da vida pública. A Astrologia da Caldéia se propagou para Pérsia, Índia, Arábia, Egito e Grécia.
Eles conheciam os planetas Mercúrio, Vênus, Marte, Júpter e Saturno. Sua astrologia não era vinculada a deuses femininos ou masculinos, mas simplesmente aos acontecimentos. Esse vínculo com os deuses aconteceu quando os povos do norte invadiram a Mesopotâmia e impuseram sua religião. O vínculo foi feito principalmente com os planetas, pois esses é que indicavam a mudança de direções nos acontecimentos.

A Astrologia foi importante primeiramente na agricultura.

Os povos nômades e vaqueiros davam mais importância à Lua, para prever a vida animal, o acasalamento e a procriação.

Os povos agrícolas davam mais importância ao Sol (e suas 4 estações) para prever plantios e colheitas.

Os navegadores se guiavam pelas estrelas e constelações (ainda não havia bússola). A partir de suas observações descobriram as constelações dos signos (Áries, Touro, Gêmeos, Câncer, Leão, Virgem, Libra, Escorpião, Sagitário, Capricórnio, Aquário e Peixes).

O mapa astral mais antigo (até hoje conhecido) é o do Rei Sargão I da Babilônia em 2350 A.C.

O mapa mais antigo para uma pessoa comum (conhecido por nós) data de 20-04-409 A.C.

A Astrologia só começou a se individualizar com a tomada de Alexandria, e o homem só começou a ser considerado um microcosmo da Idade Média em diante.

O primeiro mapa astral com horário (que determina o Ascendente) que se tem notícia é da Grécia, em 70 A.C. Passou a ser chamado Horóscopo, que quer dizer “observo aquele que surge”.

Existem cartas estelares egípcias anteriores a 4.200 A.C.
As pirâmides eram orientadas para o Norte e serviam também como observatórios astronômicos, e da mesma maneira os túmulos dos reis. Os egípcios deram bastante importância aos decanatos.

Na China, por volta de 2637 A.C., são 12 animais, e não 12 signos, e cada um rege um ano.
Além disso, sua astrologia se baseia na Lua (no ocidente, se baseia no Sol).
O calendário antigo chinês é perfeito para prever mudanças climáticas, variações durante uma estação, previsão de chuvas ou secas e melhores épocas para o plantio e a colheita.

Além disso, na Astrologia chinesa os elementos são 5 (na ocidental são 4). Isso porque os 5 elementos chineses estão ligados aos órgãos do corpo e servem de base para sua medicina (acupuntura, etc) e os 4 elementos ocidentais estão ligados aos 4 pontos cardenais (norte, sul, leste e oeste). Na China, o palácio do rei tinha 4 seções, que correspondiam aos 4 pontos cardeais, para os quais ele se mudava durantes as estações: para o Leste na primavera, para o Sul no verão, para o Oeste no outono e para o Norte no inverno.

Os árabes, tão bons na Matemática, inventaram o astrolábio (usado para medir a altura das estrelas) e eram especializados nas previsões.

Na Grécia, a Astrologia chegou por intermédio de um sacerdote caldeu que se mudou para lá e, por volta de 640 A.C. fundou uma escola.

Aristósteles relacionou pela primeira vez os 4 elementos (fogo, terra, ar e água) com os 4 princípios (quente, frio, seco e úmido) e os associou aos comportamentos das pessoas.

Hipócrates, pai da medicina, observava no corpo humano os mesmos ciclos da natureza, e estabelecia dias críticos. Para ele, o médico que não conhecesse Astrologia não tinha direito de tocar num doente.

Em Roma, Augusto imprimiu seu signo natal (Capricórnio) em uma das moedas da época. Os romanos eram tão fanáticos que alguns nem atravessavam a rua sem consultar um astrólogo. É claro que a astrologia era muito popular e havia muitos charlatães.

Na América antes de Colombo, a Astrologia foi cultivada pelos maias e pelos astecas (400 a 600 D.C.). O culto ao milho, para a celebração do Sol, era parecido com rituais da antiga Caldéia, Egito e Grécia.

Os Astecas tinham 20 signos e previram com antecedência de 3 anos a chegada do homem branco (em 1517).

No início da Era Cristã a Astrologia também estava presente. Os Reis Magos eram astrólogos que se guiavam por uma conjunção de Júpter, Saturno e Marte, provavelmente acontecendo junto com a presença de um cometa. A data de nascimento do Senhor é festejada no solstício de inverno e à meia-noite (quando o Sol está mais baixo, na casa 4, da família – simbolizando que o Sol chega à Terra).

A Astrologia chegou a Europa provavelmente através da Espanha, trazida pelos árabes vindos do Marrocos. Era, a princípio, ligada às cerimônias mágicas. O mágico usava uma espada para se proteger dos espíritos e traçava em torno de si um círculo mágico, semelhante a Umbanda de hoje. A associação da Astrologia com a Magia foi uma das causas do seu descrédito. ( Esses dois assuntos foram muito confundidos um com o outro. A Astrologia é uma ferramenta e pode ser usada na Magia, na Medicina, no Comportamento, nas Previsões, etc. Mas Astrologia não é magia. )

Ah! Vale lembrar que Astrologia e Astronomia eram a mesma ciência, no início. Essa separação aconteceu não tanto por causa da ciência (na Idade Média os médicos não obtinham o diploma sem o conhecimento astrológico), mas porque o Papa Inocêncio III, no século XIII, decretou que a busca de Deus no interior do indivíduo é heresia, e somente participando e através da Igreja Católica é possível transcender. Isto estabeleceu a divisão entre a ciência sagrada e a ciência profana. Fora da igreja só se poderia investigar o mundo material, acumulando dados sem questionar o sentido (que era monopólio do clero).

Quatro séculos após, a Astrologia era banida das Universidades, por causa do seu modelo centrado na Terra, e não no Sol. Quando a humanidade descobriu que o Sol estava no centro, e não a Terra, desacreditaram a astrologia, porque os cálculos astrológicos são feitos a partir da Terra e não do Sol. E hoje ainda continuamos calculando com a Terra no centro, porque nós vivemos na Terra, e não no Sol.

Após mais ou menos 200 nos, o psicanalista Carl Gustav Jung promove estudo estatístico de matrimônios e sincronicidade usando a Astrologia. Reafirmando a validade dessa ciência, Jung chegou a instituir o curso de Astrologia no Instituto de Psicologia na Universidade de Zurique, entre 1945 e 1955.

Astrólogos famosos:
- Copérnico, nascido em 1473, signo de Aquário.
- Paracelso, nascido em 1493, signo de Escorpião.
- Nostradamus, nascido em 1503, signo de Capricórnio.
- Galileu, nascido em 1564, signo de Aquário.
- Kepler, nascido em 1571, signo de Capricórnio.
- Morin de Villefranche, nascido em 1583, signo de Peixes (último astrólogo de um rei, era médico e previu sua própria morte).
- Newton, nascido em 1642, signo de Capricórnio (sua frase mais famosa, dita a Aliás Halley, descobridor do cometa Halley, que era cético: “a diferença entre você e eu é que eu estudei astrologia, e você não.”

Em 1666, Colbim, signo de Virgem, proibiu a Astrologia na França e fechou suas escolas. Os sábios se retiraram e apareceram os charlatães.
Mas na Inglaterra ela continuou.

Em 1908, foi fundada a primeira escola de Astrologia nos Estados Unidos.
Em 1930 começou a onda astrológica por lá. A astróloga americana Evangeline Adams foi presa por prever o futuro, e compareceu ao Tribunal levando as Efemérides; pediu então para analisar o mapa de alguém que ela não conhecesse. O juiz forneceu a data de nascimento de seu filho e ficou convencido com o que ouviu, e ela foi absolvida.

Em 1967 foi montado o primeiro horóscopo por computador, por André Barbault, francês.

Ema de Masceheville, alemã, signo de Aquário, veio ao Brasil em julho de 1925, com 22 anos, e casou com Albert, francês, 53 anos, do signo de Virgem (foi amor à primeira vista) e dedicou cerca de 50 anos de sua vida à Astrologia. Um dia, conversando com sua filha, ainda criança, descobriu fundamentos astrológicos importantes e relacionou no quadro da Santa Ceia de Leonardo da Vinci os 12 apóstolos com os 12 signos.

A base para a interpretação da astrologia com todos os seus símbolos é a observação e a estatística.

Os antigos observavam pacientemente o céu e perceberam que o alinhamento dos planetas, do Sol e da Lua parecida provocar acontecimentos. Até serem considerados evidência astrológica se passaram muitas gerações.

Uma das maiores críticas à Astrologia é o fato de não se ter “provas científicas”.
Mas uma impossibilidade científica em sua época foi o fato de um general americano, em 1924, ter sido obrigado a se aposentar por afirmar que em algum dia um avião voaria mais rápido do que o som.

O rei Jorge III, da Inglaterra, tinha um “gêmeo astral” (pessoa nascida na mesma hora, data e local, sem ser irmão gêmeo): seu nome era Samuel Hemmings. Os dois nasceram em 04 de junho de 1730, na Inglaterra, quase no mesmo minuto, na paróquia de St.Martin’s-in-the-Fields. Essa pessoa era filho de um vendedor de ferro velho. No dia em que Jorge III foi coroado, esse homem assumiu a loja de seu pai, como patrão. Eles se casaram no mesmo dia (08-09-1761). Ambos eram jogadores (o rei jogava no Derby, e o pobre jogava nas corridas de cães). Quando o rei levou um coice do seu cavalo de puro sangue, o pobre levou um coice do seu burro. Ambos ficaram incapacitados pelo mesmo período de tempo. Eles morreram no mesmo dia, 29-01-1820, e da mesma causa.

O Kaiser Guilherme II, da Alemanha, nasceu no mesmo tempo e local que um pobre. Cada um deles teve o mesmo número de filhos, da mesma idade e do mesmo sexo. Tiveram as mesmas doenças e sofreram acidentes ao mesmo tempo. Seus filhos mostravam muitas similaridades. Quando o Kaiser soube de seu “gêmeo astral” teve com ele gestos de muita bondade. Ele e seu gêmeo astral morreram ao mesmo tempo.


Namastê.

quinta-feira, 22 de outubro de 2009

O Rei Sol na Tribo de Escorpião

O Rei Sol está entrando na tribo de Escorpião em 23/10/2009, sexta-feira, às 4:43h do horário de verão , e já chega pensando muito em dinheiro e trabalho.  

Vem acompanhado do diplomático mensageiro (Mercúrio) que segue um pouco atrás, ainda na tribo de Libra, desde o mês anterior, e continua apoiado pelo sábio Sacerdote (Júpter) que está trabalhando em conjunto com o incompreendido sábio (Netuno). Ambos trabalharão muito nesse período, mesmo que o ocupado Ancião (Saturno) esteja se desentendendo muito nos céus e brigando sem piedade com o Gênio sonhador (Urano).  

O Rei Sol poderá intervir de maneira benéfica nesses raios e trovões, fazendo com que, mesmo furiosos, esses dois, o Ancião e o Gênio, produzam como nunca.  

A Rainha (Lua), muito prática e objetiva, prefere atuar em conjunto com o Xamã do Reino (Plutão) e confrontar esse duelo entre o Ancião e o Gênio com menos diplomacia do que o Rei. A Rainha está mais preocupada com seu lar e a segurança do mesmo.  

Enquanto isso, a Musa sedutora (Vênus) não quer se ocupar com esses assuntos grosseiros e prefere comandar o astral do mês de uma maneira oculta, influenciando fortemente as ações do Mensageiro, que dá o tom para a atuação do Rei, mas é comandado por ela.  

O Guerreiro (Marte) está orgulhoso e vai desafiar o Rei, mas poderá se acalmar se a Musa der atenção aos seus convites.  

O diplomático Mensageiro terá bastante trabalho durante a passagem do Rei Sol, pois muitos comentários, tanto informações como fofocas estarão agitando o Reino dos mortais. Mesmo assim, os súditos conseguem se relacionar bem, pois o Sacerdote sonhador e o Sábio incompreendido estarão interpretando tudo isso muito bem.

Traduzindo: O Sol entrando em Escorpião, chega com a calma e a diplomacia de Mercúrio que ainda está em Libra, mas voltado para assuntos materiais e práticos, principalmente o dinheiro e a sobrevivência. 
Ótimas idéias, principalmente se estiverem voltadas para resolver pendências profissionais, e uma tendência a trabalhar muito nesse mês. 
Mesmo com muitas questões ainda não resolvidas a respeito da briga nos céus entre Saturno e Urano, que se referem a conflitos entre o que é antigo e o que é novidade, deve ser possível de realizar muito nesse período.  
A Lua, em Capricórnio, é mais uma tendência para a vida prática, mas em conjunção com Plutão, indica que o desejo de segurança material e estabilidade no lar e na família poderão deixar as pessoas com pouca paciência. Não seria bom se colocar diretamente contra o que é antigo ou o que é novo, nesse momento, pois ambos poderão contribuir muito para a estabilidade material. 

Disputas com chefias e lutas de poder não estão fora de cogitação.  
O regente do Ascendente é Mercúrio, que está sendo regido por Vênus em Libra (ela está em seu próprio signo, com muito poder). Vênus em Libra dá um tom de diplomacia e ainda a busca pelo equilíbrio e harmonia. Mesmo Marte, que deve desafiar o Sol, indicando mais disputas pelo poder, egos que se desafiam e não se entendem, cede ao bom aspecto de Vênus, que pede mais suavidade e calma nos relacionamentos pessoais.  
A comunicação será importantíssima, pois há no ar uma tendência a jorrar informações com pouco tempo para seleção, podendo gerar falatórios, fofocas ou mal entendidos. 
Mesmo assim, todos os relacionamentos estão favorecidos, e é um ótimo momento para esclarecer situações e consolidar decisões.

Namastê.

O Mês de Escorpião


Durante o período que o Sol passeia por esse signo, ilumina as qualidades de intensidade, paixão, força de vontade, capacidade de reconstrução ou recuperação, e as fraquezas de ciúme, possessividade, desconfiança, ira e insegurança.  


No mês de Escorpião há uma tendência de ficarmos todos mais intensos, profundos, desconfiados, apaixonados, inseguros, possessivos, emocionais, observadores, cuidadosos, obsessivos, determinados, disciplinados, perseverantes, teimosos, esforçados. 
Nosso astral fica carregado de energias as mais diversas, e temos que canalizar isso tudo em direção a resultados positivos para nós mesmos principalmente, mas também para os que fazem parte da nossa vida.

As energias de Escorpião são fortes, intensas, e não confunda isso com positivo ou negativo. Nós é que as usamos de maneira positiva ou negativa. Essa tremenda descarga de energia emocional chega com muita força para conseguir romper o que quer que tenha sido cristalizado na busca pela harmonia, em Libra.


Não é uma energia que “aparece”, como Áries, Sagitário, Leão, Aquário. Ela é invisível, e acontece nas profundidades do Ser. A princípio, não percebemos o movimento do vulcão, ele só se mostra quando já está totalmente direcionado. Escorpião, como o vulcão, vem de dentro para fora. Sua verdadeira batalha é interna, não aparece. Só mostra seus resultados depois que a batalha já aconteceu.


Mas se eu vivenciar essa energia em seu nível mais inferior, não terei a força necessária para contê-la, então, e somente então, ela vai se manifestar em sua pior forma: agressividade, crueldade, e toda essa característica negativa pela qual o signo é mais conhecido. E isso significa que ela está se manifestando durante a batalha, e não depois.
 
Signo do elemento Água e qualidade Fixa (= Água Gelada), Escorpião é mais famoso pelos seus defeitos do que por suas qualidades. 
Certamente a maioria já ouviu falar ou leu em algum lugar que Escorpião é um signo vingativo, cruel, possessivo e que só pensa em sexo. 
Não sei porque não se divulga que Escorpião é a força de recuperação de grandes crises, a força de cura, a capacidade de transformar situações, o dom de descobrir a verdade (porque nada consegue se ocultar de sua poderosa visão de raio X, que funciona como um poderoso radar, e raramente falha).
Seu pensamento-semente é “GUERREIRO EU SOU, E DA BATALHA SAIO TRIUNFANTE”.
Em seu nível inferior é “e a palavra disse: que “maya” floresça e a decepção governe”.

Após o período de Libra, quando tomamos decisões importantes, o período de Escorpião nos pede que tomemos para nós a responsabilidade por essas decisões. 

Em Libra nós ponderamos, tentamos organizar prioridades, equilibrar interesses e atividades, e o ideal maior seria ter passado pelo caminho do meio, entre as duas colunas de força (o bem e o mal) em direção ao futuro (Escorpião). 
Mas pode ser também que tenhamos decidido voltar ao passado (Virgem) e continuar nos aprimorando mais. 
Seja como for, o Sol não vai mudar seu movimento por causa de nossas decisões pessoais. Ele vai passar por Escorpião. 
E nós teremos uma boa oportunidade para expandir a consciência.


Escorpião tem a força de transformar situações e sair das piores crises. É a nossa força de cura e recuperação. 
Mas tudo tem um preço na vida, inclusive nos apropriar de nossos próprios recursos internos e acessar nossa fonte de Força interior.
A harmonia, a organização e o descanso adquiridos em Libra são novamente destruídos em Escorpião, para que o desenvolvimento possa continuar (lembre, no texto do Mês de Libra, que o equilíbrio deve ser dinâmico, não cristalizado). 
Por isso, Escorpião é o signo da crise, da transformação, da reorientação. 
As mudanças e a insegurança em relação ao futuro que surgem em Escorpião são a causa da vontade de voltar e se prender ao passado, pois o passado já é conhecido (mesmo se for um passado ruim), e isso dá uma falsa sensação de segurança.

Um dos aprendizados fortes desse signo é que a vida segue


A evolução não permite estagnação, nem apego, nem segurança absoluta, mas exige um constante prosseguir e uma reação flexível em relação às transformações da vida. Em outras palavras:
encontrar a segurança dentro da insegurança. 

Também poderíamos dizer: a consciência contínua, um estado consciente do aqui e agora que ao mesmo tempo está em constante movimento, não se prendendo a nada, fluindo constantemente, mas que consegue ser constante, consegue ser sempre o mesmo, em relação ao estado de alerta, de atenção, de estar consciente, de manter o foco.

E para manter o movimento, já que Escorpião é um signo de Qualidade Fixa, passará por muitas mortes e renascimentos (a Fênix, que renasce das cinzas, seu símbolo mais elevado). 

Essa energia tem o apego, e tem a força para se libertar do apego.


Pode, como nenhum outro signo, se libertar da prisão material da aparência e aprender a viver com as incertezas, se tiver conseguido colocar sua Fonte de poder e segurança dentro de si mesmo, e não no mundo externo.

Mesmo que você não seja do signo de Escorpião, nem que não o tenha no Ascendente, na Lua, ou em planetas pessoais, está subordinado à lei de morte e renascimento da Natureza, que primeiro mata a semente para que depois a planta nasça; planta essa que antes de morrer lançará nova semente, e assim vamos indo.. 

Essas sementes podem ser físicas, materiais, mas também podem ser emocionais, mentais, psicológicas, espirituais.. no plano material ou no abstrato daquilo que não percebemos com a visão.

Todo o ano nós vivemos as 4 estações, que nos são transmitidas pela energia do Sol. 

Todo o mês nós também vivemos as 4 estações, transmitidas pela energia da Lua em suas 4 fases. 


Nós nascemos, crescemos, atuamos com força e depois morremos, encerramos um ciclo, enquanto o próximo ciclo já se mistura com o antigo, e então recomeçamos. 

E nesse constante movimento da vida, algumas coisas, sentimentos e pessoas permanecem, e outros não. 
As pessoas que resistem a esse movimento, que é uma lei da vida, passam por muito mais crises do que passariam se aceitassem que a vida flui, e sofrem um constante medo de perder e fracassar. 


E enquanto a Natureza arranca as folhas secas das árvores para adubar a terra, essas pessoas ficam presas a um lindo e distante passado, deslocando seu foco de atenção do momento atual (que poderia ser lindo também) para um momento que já passou. 
Como consequência ficam com o corpo no presente (porque isso não podemos mudar) e o pensamento e/ou o sentimento no passado, não vivendo com toda a plenitude nem um, nem outro; permanecem numa espécie de “limbo”, um vazio, um local estranho que não consegue fixar raízes (segurança) porque não existe.


Para as pessoas que elevaram um pouco mais seu nível de consciência, ou para aquelas que aprenderam a tolerar algumas frustrações que fazem parte da vida de todos nós, pobres mortais, o Mês de Escorpião é um momento de fazer aquela faxina no assunto de nossa vida que foi decidido em Libra. 

É um momento de limpeza e renovação, uma oportunidade de expandir mais sua mente, sua vida, seu espírito. 


Quem alcançou um pouquinho de sabedoria nesse mundo já sabe que todos os ciclos da vida são assim, e que todo o renascer, ou renovar, é precedido por uma espécie de morte.

Podemos aproveitar esse período para nos livrar de apegos que estejam atrasando o andamento harmonioso da nossa vida. Sejam apegos materiais, emocionais (aí entra o perdão..), enfim, tantos apegos que podemos ter.. 


O objetivo dessa libertação não é sofrer, é nos tornar receptivos e abertos para coisas novas e boas. 

É a isso que me referi quando mencionei, no início, que tudo tem um preço. 
Algum sofrimento (se eu for muito apegado) ou alguma pequena frustração (se eu não for tão apegado) é o preço para a liberdade de viver minha vida em plenitude.


O Mês de Escorpião é um momento muito favorável para remover de nossa vida aqueles velhos obstáculos que estão há tanto tempo nos atrapalhando, encontrando para eles alguma solução diferente.

Outra coisa boa para fazer nesse momento é uma revisão daquelas velhas e empoeiradas mágoas do passado (todo mundo tem..). Perdoar é bom. Deixa a vida livre para seguir adiante.
Perdoar não quer dizer concordar, mas compreender. 


E não é tanto libertar o Outro, mas a Si mesmo do problema. Mágoas, rancores e desejos de vingança atrasam nossa vida emocional e afetiva.

Escorpião participa, junto com o signo de Touro, do EIXO DA POSSE. 
O meu (Touro) e o seu (Escorpião). 
O dar (Escorpião) e o receber (Touro). 


As muralhas de proteção e de posse que Touro constrói em torno de tudo o que é seu são demolidas em Escorpião, e tudo aquilo passa a ser “nosso”. 
Não meu, nem seu: nosso
Isso acontece porque Touro representa um momento da vida que precisamos realmente acumular e proteger (Áries, a semente, a criança). 
Mas, como vimos em Libra, as coisas não podem cristalizar. O equilíbrio deve ser dinâmico. Se for cristalizado, morre em Escorpião. 
Em Libra, nos unimos, iniciamos a vida social, mas ainda somos “crianças sociais”. 
Em Escorpião é que vamos aprender realmente o que é uma convivência com o Outro. 

Por isso, uma das primeiras lições é compartilhar. Se continuarmos acumulando e protegendo indefinidamente (como fizemos em Touro), essa partilha não será possível. 
E também não será possível conviver. Porque o conviver pressupõe o compartilhar. Ou você duvida disso? 


Você é daqueles que pensam que vive sua vida “independente”, que trabalha, se sustenta, não precisa de ninguém, etc, etc? Tomara que não. Porque nós começamos, quando nascemos, a compartilhar, com todas as pessoas do mundo, o mesmo oxigênio. 
O pobre e o rico respiram na mesma atmosfera, como o bebê e o velho, o santo e o pecador.
Não podemos não compartilhar nada. 

Nós somos hóspedes desse planeta e compartilhamos tudo o que nos é oferecido. 

Uma das causas de grandes problemas sociais no mundo todo é o não saber compartilhar. Em outras palavras: falta Escorpião
E me refiro a Escorpião em seu mais alto nível.

Escorpião é um guerreiro regido por Marte (como Áries) e também por Plutão. Sua vida interior é um campo de batalha entre o instinto e a razão, o amor e o ódio, que oscila entre os extremos (porque não sabe ser morno: ou é ardente ou é gelado) e muitas vezes se perde nas atrações e tentações do mundo material e do espiritual também. 

Está situado no Zodíaco entre Libra (a orientação em direção ao Tu) e Sagitário (a orientação em direção à liberdade) e essa oscilação já foi chamada, esotericamente, da experiência do “solo em chamas”. 

Uma das tantas tarefas difíceis desse signo é a moderação.
Os instintos, muito fortes no signo de Escorpião, lutarão entre si para dominar. 
E um dos conflitos mais fortes foi descrito por Freud, com o Eros e Tanathos, o instinto de vida e o instinto de morte que lutam entre si no inconsciente da humanidade.

Três animais simbolizam esse signo: a Serpente, o Escorpião e a Águia (ou a Fênix). Repare que os dois primeiros são venenosos.
- A Serpente: ela rasteja, está presa no chão, na terra, na matéria. 
É escrava do material: dinheiro, posses, sexo, poder, ilusões e encantos. Nesse nível acontecem as guerras e as matanças, e quase não há autocrítica. Tem muitas crises, mas todas elas são com os outros e se transformam e disputas ou guerras. Tem muita insegurança e um complexo de inferioridade porque se critica e se auto-pune constantemente.

- O Escorpião: ele caminha, lentamente, mas não rasteja. 
Percebe que está preso e tenta fazer alguma coisa. É intuitivo. Tem muitas crises interiores, questiona os acontecimentos problemáticos do seu mundo e sua vida interior cheia de sentimentos contraditórios. Suas guerras são mais no plano mental, carregadas de lógica, razão, provas e testes. Não se autocritica, mas se auto-justifica racionalmente. E, em seus questionamentos, ele volta ao nível da Serpente e faz uma guerra, ou então desperta.

- A Águia, ou Fênix: É um pacificador, que harmoniza as mais inexplicáveis situações e consegue criar beleza em extremos opostos. 
Extrai tesouros do lixo (porque eleva o nível da Serpente) e tem um grande poder de cura (pois do veneno é feito o remédio). A Águia, ou a Fênix, não se critica nem se justifica, mas apenas observa.

A energia de Escorpião quando se liberta da Serpente da matéria (serpente), pelo auxílio da Serpente da razão (escorpião) se transforma na Serpente da sabedoria (Águia ou Fênix).

A energia de Escorpião cria conflitos dentro do nosso próprio Ser. Olha ao mesmo tempo para o passado e para o futuro, e consegue uma maneira melhor de viver o presente.


Escorpião tem uma grande capacidade de compreender o superior e o inferior, o individual e o universal, encontrando pontos em comum entre os extremos opostos. Diferente de Gêmeos e Libra que percebem os opostos, Escorpião os compreende. Isso lhe dá uma tremenda capacidade de penetração emocional nas situações e nas pessoas (chamada carinhosamente de sua visão de raio X) onde nenhuma causa ou intenção escondida lhe escapa. É seu o dom de ir até o núcleo de tudo e de lá retornar com uma solução criativa e prática.

Corresponde ao Oitavo Trabalho de Hércules: Erguendo a Hidra de Lerna, quando Hércules passou pelos 9 testes (as 9 cabeças da Hidra) e não adiantou cortá-las, então ele se ajoelha. 

Para passar nesses testes, Hércules teve que:

1) Ser um guerreiro corajoso.
2) Ter fé nos seus próprios recursos.
3) Dominar o orgulho e se ajoelhar diante de quem lhe é superior.
4) Elevar seus problemas até a Luz do seu Eu Espiritual e vencê-los.


A Hidra representa os nossos defeitos, principalmente aqueles mais antigos e ligados ao passado. Para matar a Hidra, as armas de Hércules eram inúteis, pois a cada cabeça que ele cortava com a espada, mais cabeças nasciam. Ele precisou se ajoelhar (ter humildade) e com suas mãos fortes (seus próprios recursos) levantou a Hidra e a colocou sob a luz do Sol (elevou seu problema à luz da sua própria consciência). Quando ela secou e morreu, Hércules descobriu em uma das cabeças, um precioso rubi (um tesouro, um dom, um talento, escondido pelos seus defeitos).


Quando nossos problemas, ou principalmente os nossos defeitos, são elevados à luz do Eu Transpessoal eles deixam de ter o poder de nos afetar.

Os 9 testes de Hércules são: 3 testes físicos (sexo, conforto físico e dinheiro), 3 testes emocionais (medo, ódio e ambição) e 3 testes mentais (orgulho, separativismo e crueldade).
São vencidos com 3 virtudes físicas (magnetismo, trabalho e generosidade), 3 virtudes emocionais (coragem, compreensão e devoção).

Escorpião é chamado também de o signo da morte, porque mata as ilusões e a inércia (de um equilíbrio cristalizado). 
É um guerreiro mensageiro da paz, que não progride, a menos que crie uma crise e saia dela vitorioso.


Quando sentimos alegria, amor, paz, e achamos a vida bela, percebemos que isso estava presente o tempo todo.” (Mestre Tibetano)

Sugestões para desenvolver a energia de Escorpião:

1) Lembre-se que “a melhor vingança é ser feliz”.


2) Visite algum cemitério de vez em quando e perceba como a morte está próxima da vida, ao nosso lado. Lembre que a vida é efêmera, e procure viver bem a sua.

3) Assista um parto. Perceba que o nascimento, apesar de ser doloroso prova que vale a pena viver. Perceba que o nascimento também é uma batalha.


4) Responsabilize-se pela sua vida, pelos seus próprios sentimentos e principalmente pelas suas decisões. Não ponha a culpa nos outros, ou no governo. Quem se responsabiliza é livre para fazer mudanças e não fica preso nem dependente de outras pessoas.


5) Plante alguma coisa e perceba como você é capaz de cuidar da vida. Pense nas pessoas que precisam do seu cuidado. Perceba como a planta vai se transformando sem medo. Ela não tem medo de crescer, esse é seu destino.

6) Tente vencer, em si mesmo, um dos 9 testes de Hércules citados nesse
texto. Descubra qual é o seu campo de batalha. Se não for nenhum desses 9 testes, então use a energia guerreira de Escorpião para remover outros obstáculos de sua vida.



Meditação de Escorpião:
Sente-se tranquilamente, com a coluna ereta, e descanse as pálpebras.
Observe a sua respiração se acalmando até alcançar seu ritmo pessoal.
Imagine a superfície de um lago onde se reflete a luz do Sol ou da Lua Cheia.
Observe seus pensamentos, e deixe-os passarem, não os questione. Se algum deles insistir, diga a ele calmamente que lidará com isso mais tarde. Os pensamentos vão, e você permanece observando.

Imagine que você está sentado às margens de um rio.
Você observa calmamente as águas passando.
Veja sua vida passando naquelas águas. Desde que você era uma criança pequena até o momento atual. Observe as situações, as pessoas e os acontecimentos. A cada pessoa ou acontecimento observe também os sentimentos que estavam envolvidos. Agradeça a cada experiência ou pessoa que passa. Perceba que quando passam coisas desagradáveis, a cada agradecimento ou perdão que você dá, há uma sensação de
liberdade nesse fluir. Tudo vai passando junto com as águas do rio. Passam as tristezas, passam as alegrias. Você também está passando. Veja você mesmo quando era mais jovem, até a idade atual. Perceba que a vida passa muito rápido para deixar de vivê-la em função de mágoas ou raivas passadas.

Agora olhe mais adiante, para o outro lado da margem do rio. Veja uma luz vinda de bem longe, de uma estrela distante, e se tornando mais visível e agradável. 

Essa luz é o seu Ser. 

Mas entre você e a luz tem um enorme e assustador abismo. Você sabe que pode atravessar o abismo usando a sua mente criativa. 

Superando o medo, você se aventura no salto para o desconhecido em direção à luz do seu Ser, enquanto lembra:

GUERREIRO EU SOU, E DA BATALHA SAIO TRIUNFANTE.”

Namastê.