...

Precisei colocar a moderação nos comentários por causa de alguns spans que pintaram por aqui.
Você, que não é spam, faça o seu, fique a vontade.
Namastê.

Consagração do ambiente

As previsões feitas nesse blog são gerais, falam do astral do período, não são direcionadas para o indivíduo. Para fazer previsões pessoais, você precisa consultar um(a) astrólogo(a) ou numerólogo(a) e usar seu mapa astral ou numerológico de nascimento. Não estou atendendo consultas até me aposentar, estou em outro trabalho. Faço o blog porque gosto.

O som das Fadas da Noite

domingo, 3 de janeiro de 2010

Aquário,Décimo-Primeiro Trabalho de Hércules: limpando estábulos



Objetivo: trabalhar mais para o mundo do que para si mesmo, servir

Nosso herói, Hércules, viveu uma experiência muito importante, no Trabalho anterior (Capricórnio), que vai determinar uma mudança definitiva em sua vida: ele acendeu sua própria Luz interior. 

E agora, em Aquário, deverá levar essa Luz até os outros seres que tiver contato.

Seu Instrutor está muito atento, pois a partir dessa etapa o homem não tem mais possibilidade de retorno à escuridão completa.

Hércules já é um co-criador consciente e não voltará mais atrás, mesmo fazendo toda a roda dos signos novamente, fará isso em um nível mais elevado.

Hércules agora vai mudar o sentido dos seus passos: em vez de dar atenção somente a si mesmo, vai voltar as costas ao que construiu e ir ao encontro das trevas, daquelas pessoas que ainda não acenderam sua própria Luz.

O Instrutor propõe que Hércules vá até o reino de Áugias, um território que precisa ser limpo de sujeiras ancestrais. 

Hércules vai.

A medida em que se aproxima do lugar, o mau cheiro vai ficando insuportável.
A região é imensa, o rei é Áugias, e seu reino simboliza o senso de propriedade, um instinto arraigado na humanidade há séculos.
Esse é um reino muito antigo, de muitas Eras (cada Era tem aproximadamente 2500 anos). 

O cheiro está insuportável porque é causado por excrementos acumulados desde a sua criação. Durante todo esse tempo, o gado do rei defecou nos estábulos e jamais houve alguma limpeza.
Os campos antigos onde havia agricultura, também estão cobertos de esterco e já não é possível crescer nenhuma vegetação ali.
Tem tanto estrume acumulado na propriedade de Áugias, que uma epidemia mortal começa a se espalhar pelo reino todo, dizimando populações inteiras.

Hércules vai até o palácio do rei.
“Sou o dono de tudo”, diz Áugias, logo que o vê. “Sempre fui o dono, e nesse território só acontece o que eu permito.”
Áugias não confia em Hércules, principalmente porque ele não está pedindo recompensa nenhuma pelo trabalho.
“Só um incompetente se disporia a limpar os estábulos da minha propriedade sem receber nenhuma recompensa.”

Sem se importar com a opinião do rei, Hércules insiste em fazer o trabalho.
“Está bem”, diz o rei “mas não tenho confiança nenhuma em quem se diz tão desprendido, você deve ter algum motivo oculto, algum plano secreto, deve ser um astucioso que quer ocupar meu reino, minhas terras e meu gado. 

No fundo, tudo o que você quer é ficar com meu trono, é uma questão de jogo de poder. 
Mas vou fazer uma concessão e permitir que você trabalhe aqui.”

Para aquele rei, que nunca tinha visto alguém trabalhar sem pedir recompensa, servir desinteressadamente, aquilo era muita novidade, mas pensou que a necessidade de limpeza era tão grande que ele aceitava a presença de qualquer idiota que estivesse disposto a trabalhar.


Decidiu fazer um trato com Hércules porque pensava que ficaria desmoralizado caso não tomasse nenhuma precaução contra um aventureiro tão excêntrico.

Para que não fosse considerado um imbecil e ridicularizado pelos seus súditos, propôs que Hércules limpasse todos os estábulos num dia só. “Se você conseguir fazer isso, receberá a décima parte do meu rebanho imenso, mas se falhar será morto.”


Hércules aceita. 
 Deixa o rei e sua descrença e caminha pelas terras malcheirosas e pestilentas. 
Passam carroças diante dele, carregando pilhas de cadáveres vítimas da epidemia e da sujeira. 
Mais um pouco, pensa ele, e esse ambiente de morte acaba envolvendo o resto do mundo.
É preciso impedir isso rapidamente.
Hércules fecha os olhos e se concentra profundamente.
Alguns minutos depois, com os olhos abertos, percebe que ali por perto correm 2 rios calmamente. 

Vai até lá e, de pé, na margem, observa as águas passando e lhe vem na mente, subitamente, uma idéia clara e definitiva: desviando os rios, coisa que ele poderia fazer em poucas horas, suas águas passariam pelos estábulos.
A correnteza carregaria consigo a sujeira e as fezes acumuladas há tanto tempo.

Hércules desvia o curso dos rios e fica assistindo à limpeza daquelas terras. 
Em pouco tempo, o reino todo é lavado, e num único dia.
Conforme foi tratado com o rei, a tarefa está pronta em um dia. 

O povo respira outro ar.

As terras, despoluídas, começam a criar vida e nesse momento Hércules volta à presença do rei.
Áugias esbraveja, agressivamente: “Não foi você quem limpou as terras, impostor! 

Você se valeu de um truque, utilizando as águas dos rios! 
Você armou um complô com tudo isso para se tornar querido entre meus súditos e tomar meu trono! Saia logo daqui antes que eu lhe corte a cabeça!”


Calado, Hércules se retira dali, sentindo que a tarefa está pronta e que deve prestar contas aos Seres que Tudo Presidem, e não àquele rei.

E o Instrutor lhe diz: “Agora sim, você se transformou em um servidor do mundo.”

Nesse Trabalho, Hércules se abriu à intuição, e por isso teve uma idéia clara, simples, e que ninguém antes havia tido.
Usou sua Luz para fazer brilhar a Luz dos outros.

Áugias, com toda sua riqueza e propriedades não viveria eternamente, pois era mortal, e as forças retrógradas que ele representava um dia se autodestruiriam.
Por isso, Hércules não perdeu tempo lhe dando muitas explicações.
Seria um desperdício de forças, e ele precisava de suas energias concentradas.

Hércules, nesse penúltimo Trabalho, já é um ser evoluído, pois sua consciência não está mais centrada no ego humano, em suas ilusórias necessidades e expectativas, e já tem capacidade de trabalhar em grupo ou para o grupo.

Não se sente diminuído, nem acha que está perdendo nada em fazer algo material desinteressadamente.
Não há esforço algum nessa sua doação. 

Ele apenas põe em prática uma idéia que vem de sua intuição, sua mente superior, nem é necessário tanto esforço como em alguns Trabalhos anteriores, para Hércules a tarefa foi bastante fácil.


Ele tem a pureza dentro de si, pois já se purificou em Trabalhos anteriores.
O Trabalho de um servidor nem sempre parece “grande” aos olhos dos mais materialistas. Geralmente tem a mesma simplicidade de “limpar os estábulos”, tida por alguns como uma tarefa inferior e de pouca importância.
Tanto que ninguém nunca tinha feito isso, até que ficasse insuportável.

Os resultados aqui, não pertencem a quem está servindo.
Quem recebe os efeitos são os outros. 

Para Hércules, o esforço foi mínimo, quase ridículo. 
Mais difícil foi para Hércules quebrar a barreira do ceticismo do rei, do apego, da ignorância e da incompreensão e executar aquele Trabalho facilmente, com muita serenidade, obedecendo à sua voz interior.

Eliminando alguns obstáculos desse tipo (ceticismo, ignorância, incompreensão, apego, sujeiras antigas) é que possibilitamos um recomeço da vida e da criatividade.

Se você der uma olhadinha no artigo “O mês de Aquário” verá que o pensamento semente para o mês de Aquário (postarei ainda em janeiro) é “ÁGUA DA VIDA EU SOU, DERRAMADA PARA HOMENS SEDENTOS”.

A energia de Aquário é elétrica, é Luz de Vida, rompe limitações de tempo, espaço e matéria, desenvolve poderes psíquicos, percepção espiritual, conhecimento e intuição.

E é distribuída com generosidade a todos os seres.
Os sedentos são os que vagueiam pelo vale de compras, como o rei Áugias, apegado às suas propriedades, riquezas e sujeiras antigas, mesmo à custa de muitos cadáveres.
E nós não devemos aceitar o “estrume” em nossa própria natureza, começando com a purificação própria.
Hércules teve uma oportunidade de iluminação e fraternidade.

A maior lição de Aquário é a consciência de grupo, quando o mundo interno e o externo se aproximam e interagem.

A consciência de grupo e a fraternidade desinteressada vem de uma consciência evoluída, que sabe que tudo o que acontece com um ser humano influi e afeta todos os outros em algum nível.


A Física Quântica nos diz que o bater das asas de uma borboleta na China pode causar uma tempestade no Brasil, e isso não é novidade para os antigos.

A consciência de grupo é não se importar com a opinião de um rei ignorante e fazer o trabalho que ele mesmo deveria ter feito há muito tempo, sabendo que mesmo que aparentemente Hércules fosse visto como um imbecil por alguém que não tinha a capacidade e o nível suficiente para lhe compreender, estava sendo beneficiado também, embora isso não fosse percebido naquele momento.

Porque aquela sujeira iria se espalhar para além daquelas fronteiras, eliminando outros mortais pessoalmente ligados ao nosso herói.


Além disso, ele se fortaleceu prestando atenção a sua intuição, não deixou que a opinião dos outros calasse sua voz interior.


A limpeza dos estábulos, algo aparentemente humilhante, inferior e muito difícil, para ele foi fácil porque aqui Hércules já está evoluído, quase “pronto”.
Hércules não está mais interessado na sua libertação, porque ele já é um ser livre.

A ignorância não lhe afeta mais. 

Já tem uma visão clara, e não se importa que alguém aparentemente forte e superior lhe considere imbecil.

Ele se cala, nem responde, não gasta suas energias, pois sabe que dentro daquele rei também existe uma Luz que um dia poderá brilhar, caso ele mesmo se decida por isso.

Namastê.

Nenhum comentário: