...

Precisei colocar a moderação nos comentários por causa de alguns spans que pintaram por aqui.
Você, que não é spam, faça o seu, fique a vontade.
Namastê.

Consagração do ambiente

As previsões feitas nesse blog são gerais, falam do astral do período, não são direcionadas para o indivíduo. Para fazer previsões pessoais, você precisa consultar um(a) astrólogo(a) ou numerólogo(a) e usar seu mapa astral ou numerológico de nascimento. Não estou atendendo consultas até me aposentar, estou em outro trabalho. Faço o blog porque gosto.

O som das Fadas da Noite

terça-feira, 8 de setembro de 2015

eclipse, o que é isso? (publicando novamente)


(publicando novamente, esse texto é de 13/01/2010)

Eclipses são fenômenos naturais, atualmente explicáveis pela ciência.

Os eclipses podem acontecer com qualquer planeta, mas nós, aqui na Terra damos mais atenção aos eclipses do Sol e da Lua, porque são visíveis para nós.

Eclipsar significa “ocultar”

Então, num eclipse do Sol, ele fica oculto, e num eclipse da Lua, ela quem permanece escondida.

Existem pontos fictícios no céu, chamados Nodos

Não são corpos celestes, mas são pontos onde se cruzam as órbitas do Sol com a da Lua. 
Se fosse possível, o Sol e a Lua se chocariam quando cruzassem os pontos dos Nodos. Mas isso não acontece porque estão muito distantes um do outro (só prá lembrar, seria impossível a Lua chegar tão perto ao ponto de se chocar com o Sol, pois ela derreteria ou explodiria antes disso).

Os Nodos são dois: Nodo Norte e Nodo Sul, pois um é oposto ao outro. 

São pontos fictícios ao Norte e ao Sul do espaço sideral.
Os antigos chamavam esses pontos de Cabeça (Nodo Norte) e Cauda (Nodo Sul) do Dragão. 

Para melhor explicar o simbolismo astrológico dos Nodos, é como se ali existisse um Dragão, com sua cabeça ao Norte e sua cauda ao Sul. Então, ele se alimenta pelo norte (onde a energia entra) e libera pelo sul (onde a energia sai).

Os eclipses só são possíveis de acontecer no local dos Nodos, a uma distância máxima de 18 graus para cada lado do grau exato do Nodo.


Por isso, para quem é leigo, verifique os graus zodiacais de cada eclipse durante um ano: verá que os eclipses sempre acontecem no mesmo signo, e depois começam a acontecer no signo imediatamente anterior, e vizinho. Isso porque os Nodos se movimentam em sentido zodiacal contrário.

Sabemos que o tamanho do Sol é muito maior do que o tamanho da Lua. 

Mas, daqui do ponto de vista da Terra, vemos o Sol e a Lua do mesmo tamanho, e algumas vezes o diâmetro da Lua nos parece ainda maior do que o do Sol. Claro! A Lua está mais próxima de nós. 
Enfim, por causa disso também são possíveis os eclipses (ocultações). Pois, como poderia a Lua ocultar o Sol, se ela é infinitamente menor? Mas aqui da Terra ela é vista do mesmo tamanho e até maior as vezes, por causa da distância. O Sol é enorme, mas está muito mais longe!

Outra coisa importante: os eclipses só acontecem durante a Lua Nova ou a Lua Cheia. Eles não são possíveis de acontecer em Lua Crescente ou Minguante. E acontecem no momento exato da mudança da fase.

Eclipses do SOL: Só acontecem na Lua NOVA.
Eclipses da LUA: Só acontecem na Lua CHEIA.

Os eclipses fazem parte de um ciclo de “relacionamento” do Sol com a Lua

É chamado de ciclo metônico, em homenagem ao seu descobridor, o astrônomo grego Meton, no século V a.C. 
O ciclo metônico (dos eclipses) tem 19 anos de duração e contém 235 ciclos de lunações (luas novas e cheias). 
Esse ciclo informa a ocorrência de eclipses no mesmo grau do signo zodiacal, mas não informa se os eclipses serão visíveis ou não, apenas diz que ocorrerão em tal grau zodiacal. 
Explicando: a cada 19 anos, o eclipse do Sol ou da Lua repetirá sua posição exata de 19 anos anteriores!

As Luas Novas, separadamente, têm um ciclo de 29 anos, mas dessas, somente algumas serão eclipses.

Os eclipses só são possíveis de acontecer quando o Sol e/ou a Lua estão cruzando o ponto dos Nodos, Norte ou Sul, a uma distância de no máximo 18 graus para o Sol, e 12,5 graus para a Lua.
O Sol cruza esses pontos 2 vezes por ano: uma vez no Nodo Norte e outra vez no Nodo Sul. E somente nesses períodos é que os eclipses acontecem.

Astrologicamente, consideramos os eclipses como uma “guerra” (principalmente se forem totais) ou uma “pequena discussão” entre o Sol e a Lua, (ou entre o passado e o futuro).


São momentos em que a humanidade fica dividida entre ir para a frente ou voltar para trás. 

E não é uma simples dúvida, geralmente é algo bastante radical: ir para a frente, num eclipse, significa largar o passado mesmo que ele seja importante, desconsiderar a experiência, pensar somente no que vem e não pensar se pode-se estar arrancando as próprias raízes. 

Da mesma forma, voltar para trás, nesse caso, quer dizer, se fechar para tudo o que for novidade, agarrar-se à tradição, ao que é seguro, relembrar (e as vezes cobrar) mágoas e experiências desagradáveis que já se foram, etc.
Porque num eclipse, o Sol e a Lua estão em confronto direto, ou seja, no simbolismo astrológico: a mente e a emoção, o futuro e o passado, o ego e a família, o brilho pessoal e a intimidade, o aprendizado e a experiência, etc, etc

ECLIPSES DA LUA

Acontecem SEMPRE na LUA CHEIA
Para que a Lua Cheia seja também o fenômeno Eclipse, é necessário que a Terra passe entre o Sol e a Lua, no grau zodiacal exato, e lance sua sombra sobre a Lua.
Podem ser totaisparciais ou penumbrais.


Astrologicamente, a Lua representa o passado e as emoções.


Portanto, se o eclipse é da Lua, o passado, as emoções, a sensibilidade e toda o simbolismo da Lua fica escondido, reprimido, e a tendência é agir friamente, sem sensibilidade, usando apenas a lógica, e o ego fica sobressalente.


Nos eclipses da Lua, com a Lua oculta, perdemos o contato com nossa sensibilidade e nos voltamos para o futuro. 

Caso não nos tornemos frios nesse período, é um ótimo momento para deixar de lado crenças antigas, mágoas, rancores, e fazer novos planos para o futuro, se abrir a novas possibilidades.

Em astrologia mundial, eclipses da Lua correspondem a reviravoltas, greves, rebeliões e agitações da massa, do povo.

ECLIPSES DO SOL

Acontecem SEMPRE na LUA NOVA
Para que essa Lua Nova seja também Eclipse, é necessário que a Lua passe entre a Terra e o Sol, no grau zodiacal exato, e faça sombra ao Sol, lançando sua sombra sobre a Terra.
O número máximo de eclipses do Sol, por ano, é 5, e isso acontece a cada 300 anos, aproximadamente.

Podem ser totaisanulares ou parciais.

Astrologicamente, o Sol representa o ego, o brilho, a mente, o raciocínio, a razão, o futuro.


Por isso, se o eclipse é do Sol, a tendência é que o ego, a racionalidade e o brilho pessoal fiquem ocultos e reprimidos, e a tendência é agir compulsivamente, somente pelas emoções e pelas referências do passado.


Pode ser um bom momento para refletir a respeito do nosso passado, já que o Sol está oculto e a Lua que aparece mais


A tendência é nossa mente ser invadida por recordações, e, caso não sejam recordações felizes, é um bom momento para reavaliar, perdoar e se libertar disso tudo. 

Devemos tomar o cuidado para não agir sem racionalidade, ou compulsivamente, mas pode ser ótimo para avaliar com clareza nosso passado e emoções.

Em astrologia mundial, eclipses do Sol correspondem a agitações dos governantes, com crises políticas de difícil solução, e grandes mexidas no clima, com fenômenos naturais tipo terremotos, maremotos, etc, nos locais onde o eclipse é visível.

Tanto para o Sol como para a Luaos eclipses que terão mais influência, que mais serão sentidos, são os totais

Quanto maior for o fenômeno, mais forte será a influência sobre os mapas pessoais e principalmente sobre os países e regiões onde eles são visíveis.

A tendência é que em locais onde o eclipse não seja visível, se acontecer algo ligado a ele, deve ser passageiro, e será mais marcante quanto mais visível for o fenômeno.

Em mapas individuais, além da força, e da visibilidade, há também o trânsito (principalmente a conjunção e oposição) que o eclipse fará com o mapa pessoal, e em que parte. Para maiores informações, consulte um astrólogo (a).

Principalmente se você já passou dos 19 anos, saiba que já viveu um ciclo completo de eclipses, com todos os pontos zodiacais possíveis de eles acontecerem, e com apenas a diferença de magnitude e intensidade.
Se você tem mais de 38 anos, já passou 2 vezes pelo ciclo completo dos eclipses.


Não se assuste com os eclipses. 

Se você permitir a si mesmo ficar com medo desses fenômenos naturais, estará aumentando a possibilidade de ser muito mais afetado emocionalmente (como foi descrito antes, essa já é uma possibilidade, mesmo se você não se assustar). 
Será muito mais produtivo para você, se por ocasião desses acontecimentos praticar meditações, relaxamentos ou outras técnicas que você prefira, para aproveitar as energias ao máximo, canalizando para o seu bem estar, e o das pessoas próximas a você.

Namastê.

Nenhum comentário: